50 perguntas #1

15 de janeiro de 2017

50 perguntas #1: Quantos anos você teria, se você não soubesse quantos anos você tem?

A gente já começa o projeto com uma pergunta referente a idade, ao tempo. Idade é algo que o homem convencionou para poder conta o tempo de vida nesse mundo.

Tenho 31 anos no exato momento que escrevo esse texto. Meu pai dirá que tenho 32, já que estou muito mais próxima dessa idade do que do 31, já que o dia que completei essa idade já aconteceu, está no passado.

Uma amiga que conheço fez aniversário semana passada e ela escreveu em uma legenda de foto um texto tão maravilhoso que vou tirar licença e extrair um pedacinho.

Todos nós, sem exceção, vamos envelhecer de corpo. Mas envelhecer de alma e de mente é opcional. No meu mundo imaginário, parei de envelhecer aos 22. As responsabilidades continuam aumentando mas minha alma adolescente parou nos 22. (SOARES, Lilian. 2017)

O texto é maravilhoso e a minha amiga que completou a mesma idade que farei esse ano (1985 rules!) conseguiu expressar o mesmo sentimento que tenho. A mesma perspectiva sobre envelhecer, ficar mais velha.

Mas, Karin, e a pergunta? Não vai responder

Bom, quantos anos eu teria se eu não soubesse a minha idade? Acho que eu teria 21, 22. Não sinto que tenho 31 anos de idade. Às vezes acho que os últimos 10, 12 anos de minha vida passaram de forma tão rápida, que parece que vivi um sonho. Que parece que nem estive ali protagonizando os meus dias.

Sou uma mulher cheia de responsabilidades, com contas e empréstimos para pagar todo mês. Que precisa pensar em fazer compras ou na mudança do nome do proprietário no IPTU. Mas ao mesmo tempo, quero compras coisas bonitinhas de papelaria que vi em um site. Ou cantar loucamente dentro do carro (na verdade fazer LipSync e gravar no InstaStories) músicas dos anos 80 e 90. Ou entrar em lojas de brinquedo só para ver (às vezes comprar) todos aqueles brinquedos que desejou um dia. Ou desejar o dia que irá a terra do Mickey e tem certeza que irá chorar no dia verá a Bela pela primeira vez.

A minha alma, meu espírito ficou lá nos 21 anos. Vivendo a vida leve, curtindo coisas fofas, dançando como se ninguém tivesse vendo. Ainda ouço o CD das Spice Girls da mesma forma que fazia aos 14, 15 anos: fingindo ser uma delas, performando como se tivesse em um show lotado. E é maravilhoso poder sentir a satisfação e alegria de fazer essas coisas da mesma forma que eu sentia quando era mais jovem

Acho que terei 50 anos e ainda sentirei que minha alma, o meu jeito, a verdadeira Karin, na verdade terá apenas 22.


Mil beijos e até mais!

Esse post faz parte do Projeto 50 perguntas que irão libertar sua mente. Caso tenha interesse em conhecer outras perguntas publicadas e as minhas respostas, clica aqui

Veja também

3 comentários no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Bel 19 de janeiro de 2017 at 16:23

    Super me identifiquei com seu texto porque eu me sinto bem assim. Eu tenho 27 anos e me considero responsável há um tempinho, tenho uma carreira, pago as minhas contas… mas tenho essa alma adolescente e, na real, não tenho a menor vontade de abandonar ela. Me sinto mais feliz sendo assim quem eu sou.

    Beijos

    http://belsantanna.com/

  • Reply Paula 20 de janeiro de 2017 at 12:53

    Me sinto da mesma forma, eu nunca passei (e acho que nunca vou passar), dos 26! Gosto desse número e quero ficar nele, e acho que dá pra passar batido pq todo mundo quando me conhece chuta que eu tenho isso, uns 26, 27 anos (quando na verdade já fiz 33!)

    • Reply Karin Paredes 31 de janeiro de 2017 at 06:13

      Pois é Paula,
      Fico nesse mesmo pensamento, sabe!
      O bom que você também encontrou uma idade e está feliz com ela (apesar de ter um pouco mais)
      É legal que nos “sentimos” jovens, mas temos um pouco mais de maturidade e experiência, hehehe
      Mil beijos!!!

    Deixe seu comentário