Antes que eu vá, de Lauren Oliver

5 de maio de 2017

Antes que eu vá

Antes que eu vá, Lauren Oliver

Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no colégio que frequenta: desde a melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, que seria apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita, acaba sendo seu último dia – mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. Ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha vai tentar desvendar o mistério que envolve a própria morte – e, finalmente, descobrir o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder. Sinopse Intrínseca

“Antes que eu vá” é um livro que foi publicado pela editora Intrínseca á um bom tempo e estava esgotado nas livrarias, mas a pouco tempo foi relançado pois a adaptação cinematográfica está para estrear. Esse é o livro de estreia da autora Lauren Oliver que nos levará através do último dia de vida da Sam, uma garota que está no colégio e que pode não ser um exemplo de comportamento.

Talvez você possa se dar ao luxo de esperar. Talvez para você haja um amanhã. Talvez para você haja mil amanhãs, ou três mil, ou dez, tanto tempo que você pode se banhar nele, girar, deixar correr como moedas entre os seus dedos. Tanto tempo que você pode desperdiçar. Mas para alguns de nós só existe hoje. E a verdade é que nunca se sabe.

A narração do livro é feita em primeira pessoa, com um ritmo lento, mas que vale cada segundo; após o dia 12 de fevereiro uma sexta feira normal para muitos mas fatídica para Sam.

Sam é uma garota popular, que pretendia apenas ir a mais uma festa e quem sabe no final da noite dar um passo a mais em sua relação com o namorado, porém seus planos não terminaram como ela havia planejado; em um acidente de carro Sam morre (isso não é spoiler, está bem no começo do livro, na sinopse e em todos os lugares rs).

Ao acordar, ela não sabe se foi um sonho, um pressagio até que percebe que está presa em um looping temporal que a levou de volta para a manhã da sexta feira do seu acidente; esse é um livro sobre recomeços, segundas chances. O desenvolvimento da história se dá durante 7 sextas feiras e em como Sam leva a sexta feira ou as sextas feiras, sobre o que ela precisa “consertar”/ “aprender” com o que viveu ou ainda sobre como tem agido.

Eis outra coisa a se lembrar: a esperança o mantém vivo. Mesmo quando você está morto, é a única coisa que o mantém vivo.

O desenvolvimento das personagens é muito bem trabalhado, Sam percebe que suas amigas podem não ser exatamente o que aparentam, seu namorado é exatamente o idiota que se mostra e finalmente percebe o quanto Kent sempre acaba cuidando dela causam reformulações de conceitos que nos leva a uma montanha russa de emoção; a cada final de sexta que Samantha (RE)viveu o dia de sua morte de uma maneira diferente nos aproxima dela afinal ela aprendeu a dar valor e sofre de uma maneira diferente, pois o tempo está se esgotando e ela precisa aprender como lidar com a possível dor da perda.

Abordando temas comuns da adolescência como descobertas, primeiras vezes, Bullying consegue ser sensível e direto na mensagem que cada ação tem uma reação, fazendo com que nos questionemos o que faríamos se soubéssemos que seria nosso último dia de vida, o que tentaríamos mudar se nos fosse dada uma segunda, terceira chance.

Talvez antes de morrer o que você veja sejam seus fantasmas.

Quando Sam finalmente enfrenta seus fantasmas, arranca lágrimas (acho que nunca vou superar a cena dela com a irmã mais nova) essa com certeza é uma leitura que vale a pena ser feita antes da estreia do filme, confira abaixo o trailer oficial:

Antes que eu vá
Autora: Lauren Oliver | Editora: Intrínseca
Páginas: 368 | ISBN: 9788580570595
Skoob| Goodreads

Para ler: Amazon | Saraiva

Osculos e Amplexos, Karina.

Veja também

1 comentário no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Larissa Zorzenone 5 de maio de 2017 at 14:15

    Olá
    Eu amo esse livro. Quando ele lançou, em 2011, ganhei um exemplar em um sorteio e já naquele momento eu me apaixonei por essa história. Choro horrores. Reli esse ano e foi incrível ler novamente com uma outra idade, outra vivência.
    Linda sua resenha

    Vidas em Preto e Branco

  • Deixe seu comentário