Dois Garotos se beijando, de David Levithan

12 de Maio de 2017

Dois Garotos se beijando, por David Levithan

Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.Fonte da sinopse Galera Record

Dois Garotos se beijando

“Dois Garotos se beijando” foi vencedor em 2014 do “Stonewall book award”; que é um prêmio literário patrocinado pela Comissão Gay, Lesbian, Bisexual, and Transgendered da American Library Association, que distingue anualmente as obras de ficção e não-ficção de temática LGBT publicadas em língua inglesa; mas muito além disso “Dois garotos se beijando” é um livro sensível, diferente e necessário (mesmo que você não seja diretamente ao público alvo do livro).

Acordar é difícil, e acordar é glorioso. Observamos vocês se mexerem e saírem cambaleando da cama. Sabemos que a gratidão é a última coisa na sua cabeça. Mas vocês deviam sentir gratidão. Vocês têm mais um dia.

Apesar do livro ser contemporâneo, ele vai além, ele tem a voz de gerações que vieram antes e que abriram espaço para que a geração atual seja o que quiser ser. Com uma narração que mistura passado e presente, o plot central está em Craig e Harry que hoje são amigos que nutrem um certo nível de intimidade pois já foram um casal; eles decidem se beijar por mais de 32 horas para quebrar um recorde de beijo mais longo como forma de protesto a um ato homofóbico que um amigo sofreu na escola, afinal não é o recorde de um beijo gay mais longo, é apenas o recorde de beijos mais longo , porque beijo é beijo seja ele hétero ou homo afetivo.

[…] o mundo está cheio de pessoas que pensam que diferente é sinônimo de errado.

Em paralelo com os garotos que tentam bate o feito de beijo mais longo ainda temos outras 3 histórias paralelas: Peter e o Neil já tem um relacionamento há algum tempo, tem o apoio dos pais e estão lidando com o medo de deixar a relação cair na rotina.

Desde o começo, todos dizem que não vai durar. Mas agora, mesmo que não dure para sempre, parece que durou o bastante para ser importante.

Avery e o Ryan acabaram de se conhecer no baile Gay do colégio, mas Avery não sabe como dizer a Ryan que é transexual (nasceu em um corpo de menina) mas se identifica como menino.

E ainda observamos a vida de Cooper, um garoto solitário de 17 anos, que não tem apoio dos pais, que se envolve com pessoas mais velhas pela internet, com conflitos crescente Cooper tem pensamentos depressivos e pensa constantemente em suicídio.

 Não há nada mais doloroso do que ver alguém desistir de você. Principalmente se for sua mãe.

O livro não tem divisão de capítulos, as histórias são separadas apenas entre os parágrafos que contam separadamente as histórias até o ponto em que elas convergem umas para as outras, no meio disso temos os pensamentos do narrador sobre as situações vividas; há uma diversidade racial e social entre os personagens muito ampla, mas esse fato não é essencial no desenvolvimento do livro é apenas mais um detalhe verossímil de como a vida acontece aqui ou nos EUA.

É difícil parar de ver seu filho como seu filho e começar a vê-lo como ser humano. É difícil parar de ver seus pais como pais e começar a vê-los como seres humanos. É uma transição bilateral, e pouquíssimas pessoas conseguem fazê-la com tranquilidade.

Esse sem dúvida é um livro pesado, direto e seco, é quase como levar um tapa na cara, durante a leitura é muito fácil torcer e sofrer junto com os personagens, não que necessariamente você viva o mesmo que eles estão vivendo, mas é um exercício de empatia tão forte que nos faz refletir sobre as pessoas que vivem a nossa volta e que podem estar passando por aquilo.

A liberdade não é só uma questão de votar e casar e beijar na rua, embora todas essas coisas sejam importantes. A liberdade também é uma questão do que você vai se permitir fazer.

Se eu precisasse definir sobre o que o livro falar definitivamente definiria como um livro que fala sobre preconceito, respeito e intolerância; e que ainda sim nos faz acreditar que as coisas estão melhorando, que mesmo a passos lentos os seres humanos estão demonstrando mais humanidade.

Dois garotos se beijando
Autora: David Levithan | Editora: Galera Record
Páginas: | ISBN:
Skoob | Goodreads

Para ler: Amazon |Saraiva |Livraria Cultura | Submarino

Ósculos e Amplexos, Karina.

Veja também

Nenhum comentário no blog
comentários pelo Facebook

Deixe seu comentário