O Grande Gatsby, de F.Scott Fitzgerald

13 de dezembro de 2012

O Grande Gatsby

Já falei aqui que adoro ler meus livros enquanto faço as viagens Rio-Sampa-Rio durante o dia. Dessa forma, eu consigo dá uma adiantada nas minhas leituras ou até consigo ler um livro inteirinho durante as 6 ou 7 horas que fico dentro do busão. E foi assim que li O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald.

O Grande Gatsby é um daqueles livros que sempre tive curiosidade de ler. Com a estréia do novo remake do filme que será estrelado por Leonardo DiCaprio, a minha vontade de lê-lo aumentou e como prefiro ler a história antes de ver as adaptações acabei comprando o livro.

Escrito em 1925, O Grande Gatsby (The Great Gatsby) é narrada pelo personagem Nick Carraway. Ele conta a história que se passa durante o verão da cidade de Long Island. Carraway compra uma modesta casa ao lado da grande mansão que mora o misterioso milionário Jay Gatsby. Nick reencontra sua prima Daisy que é casada com Tom Buchanam e mora no outro lado da ilha. Em um jantar promovido na casa de Daisy e Tom, Carraway conhece Jordan, uma jovem esportista na qual se relaciona.

De sua casa, Nick observa as inúmeras festas que ocorre na propriedade ao lado. Por conta da proximidade com a mansão, ele acaba sendo convidado pelo próprio Sr. Gatsby para uma dessas festas. Os vizinhos se tornam mais  próximos e por conta disso Carraway, descobre que Jay Gatsby teve um envolvimento amoroso no passado com sua prima Daisy. E é ela o motivo de tanta ostentação e mistério. Gatsby pede ajuda à seu vizinho para promover um encontro entre os dois. E a partir desse momento a história passa a ter um rumo envolvente e imprevisível.

F. Scott Fitzgerald (conhecido também pelo conto O Curioso Caso de Benjamin Button, que teve uma adaptação para o cinema) é um dos maiores escritores americanos do século XX. No livro ele descreve a vida da alta sociedade novaiorquina, fazendo uma grande crítica social aos comportamentos fúteis da época. Esse livro foi um dos mais célebres do autor e é considerado um dos romances mais importantes, tornando-se um clássico da literatura americana e também mundial.

O Grande Gatsby

Ainda não sei como, mas a história te prende de uma forma misteriosa. Você até quer dar uma pausa, mas não consegue. E quando vai ver, já leu mais da metade do livro. Contado em 1ª pessoa (Nick Carraway narra a história), O Grande Gatsby parece um pouco difícil de ler no início. Os diálogos começam e terminam do nada, são extremamente superficiais e vagos e às vezes te deixa um pouco louco, pois parece que os personagens não tem a menor educação ou discrição. A ideia que dá é que ninguém está prestando atenção no que o outro está falando. Mesmo com essas características, a história flui e o leitor fica meio que hipnotizado. Adorei a leitura e recomendo para os curiosos.

Agora é só esperar pela nova adaptação para o cinema que irá estrear em 2013 com Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire e Carey Mulligan no elenco. A adaptação anterior foi lançada em 1974 e tinha como personagens principais Robert Redford e Mia Farrow, e contou com roteiro de Francis Ford Coppola.

Vou deixar o trailer do novo filme só para deixar um gostinho da história em vocês,

Veja também

4 comentários no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Camila 14 de dezembro de 2012 at 07:04

    Estou louca pra ler esse livro e fiquei ainda mais curiosa depois desse post!

    Bjaum

    😉

    • Reply Karin 14 de dezembro de 2012 at 09:13

      Que bom que eu aguçei a curiosidade. Ele é bem interessante Camila. Envolvente de uma maneira muito estranha!!!

  • Reply Tany 18 de dezembro de 2012 at 03:07

    Nossa, você só fez a review de um dos meus livros preferidos! 🙂
    Que bom que você gostou e notou como o livro é apaixonante do jeito que eu notei. É um livro que não dá mesmo vontade nenhuma de largar, né?
    Vou aproveitar e ver a versão de 74 do filme porque só sabia dessa atual que estou aguardando ansiosa.

  • Reply Alexandre 7 de julho de 2013 at 21:28

    Não acho que os diálogos sejam “superficiais” ou “vagos”, penso justamente o contrário. A construção do enredo é muito boa, mas as trocas de acusações, as mentiras, o tom sarcástico, as provocações presentes nas falas são os pontos mais fortes do livro. É um livro quase sem ação. Tirando os encontros escondidos, a morte da mulher do mecânico e a do próprio Gatsby, o livro não tem mais ações. Tudo se resume a diálogos que falam da relação entre Daisy e Gatsby, e das suposições criadas em torno da fortuna dele. É um livro pra se ler com atenção e tempo…

  • Deixe seu comentário