Impressionismo: Paris e a Modernidade – Eu Fui

6 de dezembro de 2012

Como sabem, passei uns dias no RJ e não podia perder a oportunidade de ver a exposição mais falada do ano no país: Impressionismo: Paris e a Modernidade.

Esperei a exposição ir para o Rio de Janeiro, pois estava quase inviável vê-la em São Paulo com espera de mais de 3 horas nas filas kilométricas. Aproveitei com a vinda da exposição para o RJ e fui ver os famosos quadros impressionistas que fazem parte do acervo do Museu d’Orsay. São obras de Van Gogh, Renoir, Cézanne, Manet, Monet, entre outros, que retratam a vida na França a partir dos meados do século XIX e início do século XX

Infelizmente, ou como prefiro dizer, felizmente, a área da exposição não pode ser fotografada. Por conta disso, não há fotos dessa área, nem das obras. Mas garanto, que vale a pena ver a exposição, principalmente para os admiradores e estudiosos da boa arte. As poucas fotos são do hall central do prédio e de alguns painéis espalhados.

Impressionismo: Paris e a Modernidade estará em exposição no CCBB-RJ até 13 de janeiro de 2013 e presta atenção: é de GRAÇA. Só dou a dica de quem puder, aproveita para ir durante a semana e de preferencia no horário da manhã, assim que o CCBB abrir. Para os que não podem, paciência nas filas, mas a espera é recompensada.

Vale a pena ir na exposição, apreciar as obras ver os detalhes das telas, as pinceladas e o trabalho dos grandes artistas de um dos períodos mais importantes da arte.

Parece que estou em uma exposição, mas na verdade isso é um painel. 

Para saber mais: CCBB-RJ – Impressionismo: Paris e a modernidade.

Veja também

2 comentários no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Tany 7 de dezembro de 2012 at 14:45

    Que vontade de ir na exposição! Monet é um dos meus preferidos!
    Me lembra quando eu podia ir no Museu no intercâmbio todo sábado a tarde e passar horas lá, e o melhor, sem me preocupar com filas ou pessoas do meu lado.

  • Reply Camila 9 de dezembro de 2012 at 14:28

    Ótima dica, amo o impressionismo, Renoir pra mim é o maior.

    Beijos

  • Deixe seu comentário