Muitas águas, de Madeleine L’Engle

28 de novembro de 2018

Muitas águas, de Madeleine L’Engle, é o quarto livro da famosa série literária Uma dobra no tempo. E hoje vou contar um pouco sobre como foi a leitura desse obra que chegou aqui em casa pela parceria do blog com a Editora Harper Collins Brasil.

“É preciso acreditar em certas coisas para poder vê-las!
Sandy e Dennys, os gêmeos da família Murry, sempre foram práticos, realistas e nunca prestaram muita atenção às conversas dos pais cientistas sobre coisas altamente teóricas como tesseratos e farândolas. Mas, após um acidente no laboratório do sr. e da sra. Murry, algo acontece com eles que desafia drasticamente suas capacidades de crer no impossível. Com um desastre à vista, será que os gêmeos conseguirão encontrar uma maneira de voltar à realidade?

Tive a oportunidade de conhecer o trabalho da L’Engle esse ano. Até então nunca tinha ouvido falar sobre a autora ou sobre sua obra e a importância de seus livros para a literatura infanto-juvenil americana. Eu já fiz resenha dos 3 primeiros livros da saga e finalmente cheguei no quarto livro.

Muitas águas vai focar em dois personagens que sempre estiveram em segundo plano nas aventuras da família Murry: os gêmeos Sandy e Dennys. O livro não segue a ordem cronológica da saga e pode ser lido fora de ordem sem nenhum problema. A história se passa verdadeiramente entre o segundo e o terceiro livro. O livro vai abordar uma viagem no espaço-tempo (mais uma vez) e os gêmeos irão parar no mundo na época bem diferente da deles.

Mas vou confessar que me decepcionei com a saga. E esse quarto livro foi uma leitura bem arrastada, bem cansativa e bem sem propósito. Não me senti atraída pela narrativa e achei meio que sem propósito. Vendo as datas de publicação do primeiro livro da saga e esse temos mais de 20 anos de diferença. O que talvez tenha dado a diferença no tom das histórias. Outro fator que me deixou bem intrigada foi que algumas partes achei bem avançadas para um livro infantojuvenil. Eu não sei se isso talvez seja porque o público em questão seriam os mesmos que haviam lido Uma dobra no tempo há 20 anos atrás, ou se a autora achou realmente aquele apropriado para aquele público. Mas eu não achei pertinente para a história.

Algumas coisas ficaram soltas sem uma conclusão decente e personagens sem uma boa explicação da existência deles na narrativa. Eu realmente não vi razão para esse livro na saga. E o que me deixa mais chateada é que os gêmeos eles são personagens bacanas (e a única coisa que salva no livro) e poderiam ser mais bem explorados e ter uma participação mais ativa em toda a saga. Foi a única coisa que salvou no livro. Em uma das resenhas que li no Goodreads, uma leitora do livro disse que a história parecia mais com uma fanfic de A arca de Noé.

O livro mantém o padrão do projeto editorial que a editora escolheu para essa saga. Eles ficam lindos na estante, mas com certeza essa obra não se manterá na minha biblioteca particular que quero manter para o futuro. Fiquei bem triste porque a ideia era manter essa coleção bacana para as minhas futuras gerações.

Muitas águas
Autor: Madeleine L’Engle | Editora: Harper Collins Brasil
Páginas: 320| ISBN: 9788595083295
Skoob | Goodreads
Para lerhttps://amzn.to/2pNm2cN


Mil beijos e até mais!

Veja também

Nenhum comentário no blog
comentários pelo Facebook

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.