Nós nos cabelos

12 de julho de 2016

Nós nos cabelos

Estou em um grande dilema cabelístico: vivendo sentimentos de amor e ódio pelas minhas madeixas.

Meu cabelo está com um comprimento que nunca esteve (ou pelo menos que eu me lembra) antes na história da minha vida. Até um tempo atrás estava amando isso, completamente in love por ele. Me achando a poderosa com o tamanho, me sentindo garota propaganda de shampoo, condicionador e creme para pentear.

Mas de uns 2 meses para cá começaram os problemas. De início eram os nós repentinos que apareciam na altura da nuca. Até aí tudo bem, achava que era os cachecóis ou os casacos com golas que se embolavam com os fios. Só que passaram a surgir a qualquer hora do dia e do nada.

Até tudo bem. Só ir ali e desembaraçar o cabelo e pronto.

Só que o problema do cabelo foi se agravando. A grande questão de ter cabelo grande é a quantidade de fios que vão se espalhando pela casa. O número de fios de cabelo espalhados pela casa é totalmente proporcional ao comprimento do seu cabelo.

E a coisa começa a ficar insuportável. Não consegue parar de encontrar fios por todo lado da casa. Não só no banheiro, mas também nas roupas que estão penduradas no sofá, dentro das bolsas e mochilas. Sério por todo o lado tem um fio de cabelo atrapalhando as energias da casa.

Além disso, tenho tido sérios problemas de cuidado com os cabelos. Não sou do time que fica horas em frente ao espelho remexendo de um lado para outro, secando, lavando, fazendo hidratação, finalizando e todas essas coisas legais que eu não tenho o jeito nem a paciência. Por favor, não me levem a mal. Não estou diminuindo ninguém que dedica um tempo para cuidar dos cabelos. Pelo contrário, acho o máximo e super invejo quem faz. Eu só não domino (ou não me esforço para dominar)

Mas não há só coisas ruins sobre estar com esse cabelão todo. Como disse lá em cima, nunca tive o cabelo nesse comprimento tão grande e me sinto a ~poderosona~ com as minhas madeixas esvoaçantes. É uma sensação legal, tipo sempre quis ter cabelo grande, jogá-lo para o lado e talz. Nunca tive cabelão assim, principalmente por ser portadora de psoríase e ter que fazer vários tratamentos que não permitiam deixar o cabelo muito grande, sem contar que o tamanho comprido também permite agravar os picos de crise da doença.

O que tem me motivado a correr no salão e gritar “Repica, repica” é o fato do cabelo está dando sinais de falta de vida. Por mais que eu cuide, faça hidratação caseira, passe óleos, shampoos revolucionários e todas as coisas que contribuem para o bem-estar e beleza dele (aja $$$), meu cabelo está ficando sem vida, quebrado e sinto que pontas duplas estão surgindo do além. Está ficando complicado ser linda de cabelo grande.

Tudo isso é para dizer que estou nessa indecisão: quero cortar, mas também não quero me desfazer dessas madeixas. E nesse embate tenho vivido as últimas semanas.

Parte o coração em me desfazer dos meus fios.  Por isso que estou demorando tanto no cabeleireiro e pedir para passar a tesoura. Por mais que eu odeie ver os fios enormes espalhados pela casa (por todo o canto, na verdade). Claro que se eu decidir cortar, vou doar o cabelo. Gente, não dá para se desfazer de um cabelo tão grande e desperdiçar fios por aí. Tanta gente precisando e tantas ONGs arrecadando mechas para fazer perucas para pessoas que estão com câncer que não dá para jogar meus fios tão cultivados no lixo, né?

Será que um novo corte, um novo cabelo, uma nova Karin, não é tudo que está faltando? Ou que ainda há chances para as minhas longas madeixas que só precisam de “corta só as pontinhas!” Acho que depois desse texto eu tenha feito a minha escolha!

Nas próximas semanas vocês saberão qual foi a minha decisão: ame-a ou deixe-a

Como sempre diz a minha mãe: “Cabelo cresce, filha”. É algo a se pensar


Mil beijos e até mais!

Veja também

2 comentários no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply karina 2 de agosto de 2016 at 10:17

    Ainda tô desejando cortar o meu Kaaaa, aqueles double long bob estão me fazendo suspirar ….

    • Reply Karin Paredes 2 de agosto de 2016 at 10:21

      Karina,
      Vou cortar o meu hoje!
      Se inspira no Pinterest e toma coragem!
      Mil beijos!!!

    Deixe seu comentário