Porque não comemoro o Halloween!

31 de outubro de 2013

20131030_201642

Essa postagem não reflete a opinião atual da Karin Paredes. Fiz esse post em 2013, de lá para cá muita coisa mudou em minha cabeça sobre o Halloween. E isso graças as pesquisas e a troca de opiniões feita na caixa de comentários que vocês podem verificar no final desse artigo. O que penso não é verdade absoluta (“Só sei que nada sei”). Ainda não comemoro o Halloween (mas isso pode mudar. Ou não!) Há também observações (uns post scriptum) no final do texto que coloquei após a publicação. Escolhi deixar esse post no ar, pois esse era o pensamento da Karin de 2013. E para ser um lembrete de que somos livres para mudar de opinião, amadurecer e se posicionar no lugar do outro refletindo sobre o que achamos e pensamos sobre o mundo.  As coisas mudam, e minha opinião também. #julguemenos

A foto acima é exatamente o cartaz que colei na porta da minha casa hoje! Moro há quase 3 anos nesse prédio e durante esse tempo crianças visitaram a minha porta pedindo “gostosuras e travessuras”. Há 3 anos eu os ignoro. E já fui vítima de travessuras, viu!

Sei que expondo minha opinião aqui sobre essa data, serei motivo de chacota. Deve aparecer comentários dizendo que não tenho espirito esportivo ou coisa do tipo. Se tratando de imposição de cultura alheia goela abaixo, sou contra.

Halloween é uma festa/comemoração super bacana. Acho super divertido toda a agitação para a chegada do dia, a decoração criativa, as fantasias e festas, as crianças indo atrás de doces. Só que tudo isso lá na terra do Tio Sam e nos outros países que comemoram a data! Não acho legal (e saudável para o nosso patriotismo) essas comemorações em terras tupiniquins (exceto dentro de um contexto como acontece em cursos de idiomas).

Sou de um tempo em que “gostosuras” significava passar  dia inteiro “correndo” atrás de doces no Dia de São Cosme e São Damião (para quem não sabe a data é comemorada no dia 27/09). Os amigos e vizinhos andando por todo o bairro, indo atrás de qualquer pista que dissesse onde estariam distribuindo os famigerados saquinhos recheados com as guloseimas mais tradicionais que já existiram. Enchíamos potes e mais potes de mantimentos e tínhamos doces por quase um mês. Oh, tempo bom! Agora, vejo essa tradição (quero dizer, tradição católica, já que fui criada dentro dessa concepção, #infanciaanos90) sendo comemorado cada vez menos e isso me deixa triste. Sempre imaginei meus filhos indo atrás de doces e se divertindo por um dia inteiro, se esbaldando em Maria-moles e suspiros.

Halloween, ou Dia das Bruxas, como também é conhecido, não é uma festividade que faz parte do nosso folclore e cultura. Gente, me diga um conto, uma história de origem folclórica que tem bruxa presente? (vide update no final desse post e os comentários mostrando a existência sim de bruxas em nosso folclore #meaculpa). Juro que procurei, mas não encontrei uma se quer (conversando com uma amiga da faculdade ela disse que há o mito das bruxas de areia; se alguém souber de algum outro me avise). O que tenho notado é uma super valorização pelas coisas que vem de fora. As coisas que tem em outros países são mais interessantes, são mais legais, melhores. Comemorar Halloween no Brasil é um grande exemplo que nós brasileiros estamos deixando de dar valor as nossas tradições e cultura.

no_halloween

Gente, tem tanta coisa nesse mundão que é o nosso Brasil. Tantas festas, celebrações, festividades ricas em história, cultura que nos dá essa identidade de nação, de pátria, de país rico em tradição e folclore. E tenho a sensação que tudo isso está se perdendo, se esvaindo com o passar dos anos. Acho que vai chegar uma época em que só conheceremos o nosso país mesmo através de livros antigos, museus e documentários pois a nossa cultura vai estar perdida. Sei que há milhares de pessoas batalhando para que isso não aconteça e espero que continuem fazendo isso (dou total apoio). Se não fossem elas, já não sei em que pé estaríamos.

Às vezes, não damos atenção, mas são esses detalhes que fazem com que nós brasileiros deixemos de nos importar com o que é nosso. Hoje em dia vejo tantos jovens (na faixa etária de 10 a 20 anos) que tem raiva de ser brasileiro, que tem a cara de pau de dizer que não gostam do país em que nasceram, que não gostam de viver aqui. Esses são, na maioria das vezes, os jovens que ficam valorizando a cultura estrangeira, que para eles tudo que tem lá fora é bom e melhor, são esses os jovens que comemoram o Halloween. Claro que há exceções, mas já pararam pra pensar que são esses jovens não patriotas que irão viver o Brasil de amanhã?

Essa é minha opinião sobre todo esse laranja, roxo e preto que vejo espalhado pela cidade. Me sinto morando em outro lugar, outro país e não é bem isso que quero. Halloween é uma festa genial, só que lá para os americanos. Sei que esse post não vai mudar muita coisa, mas já está valendo por eu poder desabafar um pouquinho e expor o que penso disso tudo. Afinal de contas, esse aqui é meu cantinho, minha prateleira.

Fonte: We Heart ItÉ daqui! We ♥ it

E você, o que acha sobre essa história de celebrar Halloween aqui no Brasil? Concorda, discorda? Deixa seu comentário!

UPDATE 1: Após uma conversa e trocar idéias, uma amiga da faculdade me disse que em Florianópolis existe a lenda das bruxas de areia.  Além disse ela me contou como as pessoas comemoram o dia 31 de outubro por lá. Há muitas festas e as pessoas se fantasiam de saci, curupira, lobisomem e outros personagens da cultura local e nacional. Esse é um dos exemplos de celebrar a data incorporando elementos das nossas tradições em festas que não fazem parte originalmente do nosso folclore. Fazemos isso há dezenas de décadas.

UPDATE 2: Hoje também é considerado ano-novo para quem segue a crença Wicca. Como dito anteriormente, comemorar o Halloween dentro de um contexto é válido e respeito. O que eu não concordo é sair celebrando uma data sem nem saber direito do que se trata.

Para saber todas as novidades do Prateleira de Cima:
LojaOnline | Facebook Twitter Instagram  | Skoob | Youtube | Bloglovin’

Veja também

20 comentários no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Giullya Rosseti 31 de outubro de 2013 at 10:11

    Querida, não estamos acabndo com a cultura do nosso país. Não deixamos de comemorar o folclore ou coisa e tal. Apenas, deixe as pessoas serem felizes!
    Blessed Be.

    • Reply Karin 31 de outubro de 2013 at 16:47

      Olá Giullya.
      Respeito o que as pessoas acreditam e sei que tem muitos que curtem a festa, mas não deixam de valorizar o que o Brasil tem de bom. Não estou querendo deixar as pessoas infelizes ou se sentindo culpadas por aproveitar o Halloween. Só estou expondo uma opinião que está em constante e eterna construção.
      Sinta-se à vontade em colocar a sua opinião por essas bandas.
      Beijinhos!

  • Reply André 31 de outubro de 2013 at 13:04

    É uma pena que nossos valores, costumes e história estejam de lado. Importamos uma cultura do fast food, da coca cola, do halloween e por aí.
    Parabéns pelo texto, mas acho que somos vozes únicas nesse universo tão americanizado. Abs

    • Reply Karin 31 de outubro de 2013 at 16:40

      Oi André.
      Eu sei que somos únicos, mas somos vozes! Não quero mudar o mundo nem a opinião de ninguém, mas quero pelo menos fazer pensar!

  • Reply Mandu 31 de outubro de 2013 at 14:07

    Olá! Tudo bem?

    De início gostaria de te convidar a leu o meu post sobre este mesmo tema, porém defendo outra opinião e até mesmo por isso acho que nossa troca de leitura poderia ser legal. http://mandyisfabulous.blogspot.com.br/2013/10/por-que-comemorar-o-halloween.html

    Resumindo o que disse lá, eu tenho gosto pela pluralidade cultural, por isso amo Halloween e outras comemorações, hábitos e crenças estrangeiras, não em detrimento da nossa cultura, do nosso folclore, mas pela soma.

    Não faço uma apologia à vida americana, a qual nem me identifico, mas um convite para conhecer as várias outras culturas, inclusive essa celta medieval europeia que é da onde vem o Halloween.

    Enfim, o que quero dizer é que a minha opinião é de que o bacana é trocar experiências e deixar as culturas se atravessarem, até porque no meu ver é essa a cara do nosso país desde quando só haviam tribos indígenas, as diferenças, a pluralidade cultural sempre nos marcou e estarei sempre de portas abertas para todas.

    • Reply Karin 31 de outubro de 2013 at 16:55

      Mandy, li seu post e vi que você fez uma boa argumentação e gostei até da parte em que você fala sobre a questão do Saci.
      É isso que acho mais bacana na diversidade internetica. Opiniões que divergem, mas que se respeitam.
      Beijinhos

  • Reply Mandy 31 de outubro de 2013 at 14:08

    ops, saiu meu nome errado. MANDY*

  • Reply Cido 1 de novembro de 2013 at 00:18

    Você quer um conto brasileiro que tenha bruxa?

    vou te dar uma dica: Cuca…se não vir nada na sua cabeça com esse nome vou te dar outra dica: Florianópolis. Se ainda assim não vir nada na sua cabeça só lamento.

  • Reply Tany 1 de novembro de 2013 at 02:35

    Entendo teu ponto de vista, mas acredito que às vezes muita gente não faz por mal. Eu, por exemplo, adoro o Halloween porque gosto dessa coisa macabra, filmes de terror no geral, abóbora e um dia pra você se fantasiar de alguma coisa. É bem legal porque não temos isso aqui, não temos uma festa que você pode se fantasiar de qual-quer coisa que quiser. No final, eu acho que é por isso que a maioria gosta. Vende muito? Vende. É lucrativo pra todas as partes? Com certeza. Mas na minha visão a maioria dos feriados é assim: a páscoa hoje em dia é somente isso, dia das crianças, até o natal. Eu sei que existem datas específicas por trás de cada um desses dias, mas eles são lembrados pela parte comercial e somente isso, honestamente.

    Não vejo mal no Halloween. Acho que é algo tão antigo, misturado com bruxa e etc que acontece MUNDIALMENTE. Pra mim, deixou de ser cultura americana há muito tempo pra ser algo mundial mesmo. Agora se comemorassemos o Labor Day ou o Thanksgiving aí sim..

    • Reply Karin 1 de novembro de 2013 at 14:35

      Entendo sua posição Tany e pesquisei muito essa parte para construir esse texto.
      E também já vi gente comemorando Thanksgiving por aqui, viu!!! Achei muito estranho!

    • Reply Jeverton 30 de novembro de 2015 at 10:08

      Temos o dia de ação de Graças como lei federal ……..

      O PRESIDENTE DA REPÚBLICA , faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
      Artigo único. É instituído o Dia Nacional de Ação de Graças, que será a quarta quinta-feira do mês de novembro. (Redação dada pela Lei nº 5.110, de 1966)
      Rio de Janeiro, 17 de agôsto de 1949; 128º da Independência e 61º da República.

      Depois foi alterado para a quarta quinta-feira de novembro.

      Muitas religiões protestantes comemoram o thanksgiving. Acho que não cabe discutir isso….

  • Reply Fernalf 1 de novembro de 2013 at 12:57

    Matinta Pereira é um bruxa, a Cuca é uma bruxa.

    Manuel Ambrósio, em seu livro, Brasil Interior, relata o seguinte episódio.

    A muié que pare incarriado seis fia femea, condo é pra tê as sete, bota logo o nome de Adão, tudo trocado, senão a menina vem, e logo sai Bruxa.

    Assim que chega no sete ano vira aquela barbuletona, entra p’la fechadura da porta da muié parida e xupa o embigo das criança que morre c’o mal de sete dia, conde a parteira não é boa mestra e esquece de botá a tesoura aberta debaxo da cama da parida, onde a criança nasce. (é uma bruxa também)

    • Reply Karin 1 de novembro de 2013 at 14:38

      Fernalf, obrigada pela dica. Vou dar uma pesquisada sobre e procurar saber do livro.
      Para você ver que a minha opinião sobre isso não é absoluta que a minha concepção de bruxa ainda é muito ocidental e medieval que não consigo ver a Cuca como uma bruxa, e sim um outro ser fantástico.

  • Reply Renato Tomazino 1 de novembro de 2013 at 21:07

    O Halloween é um feriado copiado pelos americanos com um único fim o comércio
    A origem do Halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C.
    não sou a favor de copiar um evento cultural de outro país..
    que muitas pessoas não sabem nem o porque surgiu, qual o fundamento deste feriado naquela nação, não sabem nem o significado do Halloween..
    Fora que temos feriados importantíssimos no Brasil
    que muitas pessoas não sabem nem dizer que feriado é…
    principalmente aqueles que tem haver com a Proclamação da República..
    Dia da Independência e etc..
    Ao invés de ficarem copiando o dos outros, que tal valorizarmos os nossos..
    Todas as datas comemorativas tem um objetivo: lucrar. Ou seja, Halloween é importante para ganhar dinheiro, talvez seja por isso tanto empenho em agregar mais esse dia no nosso calendário, cópia de uma cópia de um Pais que nos espiona e prejudica nossas relações comerciais com os demais países, país que não da a minima para os brasileiros.

  • Reply Mandy 3 de novembro de 2013 at 14:35

    Ah, acho a ideia do thanksgiving legal também! rs Nunca comemorei e não tenho vontade porque não sou religiosa e como tem essa coisa de agradecimento à Deus… não faz parte das minhas crenças.

    Mas uma outra data que amo mesmo é a festa nacional na França, que acontece sempre em 14 de julho em comemoração à queda da bastilha. Acho que a revolução francesa trouxe marcos para todos os países e é o dia do meu aniversário, estou atenta a esta data sempre.

  • Reply Aline T.K.M. 4 de novembro de 2013 at 10:12

    Acredito na importância de valorizarmos nossa cultura e identidade, mas não vejo problemas e acho até interessante conhecer e comemorar o Halloween, assim como outras datas/festas estrangeiras. Acho bem interessante a origem do Halloween, que é irlandesa (celta), país no qual morei durante um ano e que tem um folclore bastante rico. Sou a favor da pluralidade cultural, e sendo o Brasil um país multicultural, de imigrantes, é meio que inevitável ter aspectos culturais de fora incorporados por aqui. Um outro exemplo envolvendo é a comemoração do St. Patrick’s Day, padroeiro da Irlanda, que é também vista e amplamente difundida nos EUA por conta dos imigrantes irlandeses.
    Respeito sua opinião e aproveito para dizer que gostei bastante do post. Acho legal trocar ideias, conhecer pontos de vista diferentes. E concordo com o fato de absorvermos muito facilmente tudo o que vem dos EUA. Não sou particularmente uma admiradora do que é americano, pelo contrário, embora haja coisas que reconheço que eles fazem bem (assim como outros povos e culturas também). Não escondo que conhecer a Disney foi uma das coisas mais mágicas que já fiz. E dane-se se isso é coisa capitalista americana. Não sou a favor de radicalismos, e nem de aceitação cega e sem questionamentos. Acho que conhecer e vivenciar outras culturas só vem a nos enriquecer e a encontrar semelhanças com a nossa. Como disse, um país de imigrantes como o nosso vai ter comemorações relacionadas a outras culturas e isso é bem rico (Ano-novo chinês, Ramadan, etc). Sou suspeita para falar também porque eu sempre gostei de descobrir culturas novas, e incluir parte delas em meu gosto pessoal (por exemplo, adoro rock francês, muito mais que música brasileira, americana, inglesa, ou o que for, e isso é só questão de gosto pessoal).
    Enfim, parabéns pelo post. Também acho uma pena que o dia de São Cosme e Damião esteja sendo cada vez menos comemorado. Lembro de quando eu era criança, quando viajava para cidades menores era comum receber doces na rua (em São Paulo não vivenciei tanto isso, mas na escola sempre comemorávamos). Acho que deveríamos sim resgatar essas datas que foram ficando meio esquecidas, e isso pode conviver muito bem com sermos engajados culturalmente com outros países.
    Acho que escrevi muito, mas gostei do tema e das diferentes opiniões que vi por aqui!

    Um beijão, Livro Lab

    • Reply Karin 4 de novembro de 2013 at 10:24

      Nossa Aline, curti muito o seu texto.
      A ideia do post era justamente essa, expor minha opinião e saber o que outras pessoas pensam sobre.
      Uma coisa que quero deixar bem claro é o fato de que minha opinião não é absoluta.
      Também acho bárbaro as pessoas aprenderem sobre outras culturas. O que vejo é uma comemoração sem saber bem o que isso é.
      Na quinta, encontrei uma criança no elevador do meu prédio, vindo da escola, vestida de bruxinha. Ok, beleza! Era uma festinha na escola. Mas será que foi explicado a ela o porquê dessa festa? É isso que me preocupa. Acho importante explicar o porquê dessas comemorações desde cedo. Até para formar cidadãos pensantes e questionadores.
      Mas a minha indignação é que hoje as pessoas estão assim: “Oba Halloween! Vamos nos fantasiar e pedir doces!”Só isso!
      Ahh sei lá. É isso que penso agora e como disse minha opinião está em constante construção e mudança! Pode ser que daqui a 5 anos, tudo o que escrevi por aqui caia por terra.

      Obrigada, mais uma vez Aline pelo seu comentário!
      Beijinhos

  • Reply Renata 8 de novembro de 2013 at 00:14

    Concordo, não devemos copiar feriados estrangeiros tais como Halloween, Thanksgiven e outros, vamos comemorar com os nossos feriados da nossa cultura diversificada brasileira. Ja bastam as copias das palavras, hoje não mais se traduzem promoção, liquidação em shoppings está tudo em ingles, off, sale …. Certo dia comprei um biscoito que dizia na embalagem “um up na hora do break” acho que era isto, sem noção né. Duvido que nos Eua algum americano (a) se prestaria de combinar com pessoal da rua ou condomínio pra comemorar feriado brasileiro rsrs, jamais.

  • Reply David 31 de outubro de 2014 at 20:40

    Achei sua opniao muito boa

  • Reply Livros e Halloween: indicações literárias - Prateleira de Cima 28 de outubro de 2016 at 17:30

    […] não sou muito adepta a essa data festiva mundialmente comemorada. Já falei sobre o que acho nesse post feito alguns anos trás. Algumas coisas que escrevi lá já mudaram na minha cabeça, graças a troca que tive nos […]

  • Deixe seu comentário