Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie

23 de outubro de 2016

Sejamos todos feministas

“A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente.”
Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e – em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são “anti-africanas”, que odeiam homens e maquiagem - começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.
Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Adquiri gratuitamente esse pequeno livrinho, que é uma adaptação da palestra que Adichie fez para o TEDxEuston em 2013,  em uma ação da Companhia das Letras para o Dia Internacional da Mulher. A gente podia baixar os e-books através das livrarias online. Aproveitei e baixei logo a minha cópia. Depois acabei comprando a versão impressa para minha mãe que tinha curiosidade  em ler.

O livro é um pequeno ensaio no qual Adichie  fala sobre o feminismo e o que é ser feminista nos dias atuais, a partir da sua experiência em ser mulher, negra e africana. Mostrando a partir da experiência de vida o que

A leitura é super rápida e você consegue fazer em menos de 1h. É um pequeno artigo mesmo. Mas com um conteúdo que traz reflexão sobre as diferenças de gênero ainda muito presente nos dias atuais e nos mais diversos níveis sociais que a autora passou (e ainda passa) e presencia no seu cotidiano.

Sejamos todos feministas

Muitas das reflexões de Adichie são coisas que penso sobre a questão do gênero. Nunca entendi direito (e nem concordo) porque para o homem algumas coisas pode e para mulher não, e vice-versa também. Acho que o assunto feminismo e ser feminista pode ser tópico para outra conversa em outro post.

Chimamanda Ngozi Adichie também tem em seu currículo obras de ficção e duas delas estão na lista de livros que quero ler: Hibisco Roxo (Skoob | Goodreads) e Americanah (Skoob | Goodreads).

Recomendo super a leitura desse livro para quem já conhece o feminismo e mais ainda para aqueles que querem entender o que realmente significa feminismo e ser feminista nos dias de hoje.

Sejamos todos feministas (We should all be feminists)
Autor: Chimamanda Ngozi Adichie | Editora: Companhia das Letras
Páginas: 64| ISBN: 9788535925470
SkoobGoodreads

Para comprar: Amazon | Saraiva | Livraria Cultura
Obs.:
O livro está de graça no formato e-book/livro digital. Só baixar!


Mil beijos e até mais!

Veja também

Nenhum comentário no blog
comentários pelo Facebook

Deixe seu comentário