Tudo e todas as coisas, de Nicola Yoon

26 de janeiro de 2018

Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha  janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre. Fonte da sinopse Skoob

 

Tudo e todas as coisas já teve até mesmo seu conteúdo adaptado para os cinemas, mas embarquei nessa história sem saber muita coisa além da sinopse e isso influenciou muito minha experiência de leitura. Desde que se entende por gente Madeline vive dentro de uma bolha, sua casa é a prova de qualquer infecção, ela tem contato apenas com a mãe (que é médica) e com a Carla sua enfermeira. Mad perdeu o pai e o irmão em um acidente quando era muito pequena e apesar da condição meio inusitada ela segue seus dias estudando em casa, se exercitando e imaginando como seria viver “lá fora”, até que certo dia a chegada de novos vizinhos muda a rotina das coisas.

Pela primeira vez em muito tempo, desejo mais do que aquilo que tenho.

Meio previsível esse plot? Meio previsível, mas é a forma como a história foi contada é que nos faz encantar com essa jornada que eles estão prestes a viver, cheio de gráficos, rascunhos, tabelas, cronogramas rascunhados que se mesclam com o texto corrido da autora a história é amarrada como se fosse um diário/dossiê. Olly muda-se para casa ao lado e obvio que tenta se aproximar de Madeleine e entender como é possível que uma garota nunca tenha saído de casa ao mesmo tempo que lida com seus próprios problemas familiares.

 Eu era feliz antes de conhecê-lo. Mas agora estou viva. São coisas diferentes.

Como tudo caminha em torno da doença de Mad, a amizade que começa a se desenvolver um ambiente virtual, estaria fadada a morrer ali também. Afinal de contas como seria possível eles conviverem se nem ao menos Olly pode entrar em casa? Carla, a enfermeira de Mad, tem um papel fofo, rápido e nem por isso menos importante nessa história toda. A mãe da Madeleine é uma das surpresas “Eita” do livro.

 

Quando tudo se encaminha para mais um livro sobre uma garota doente que se apaixona por um garoto saudável, descobrimos que essa história não é sobre apaixonar-se é sobre como uma situação ruim pode desencadear outras piores. Olly vive uma situação X em casa que preocupa Mad ao ponto de ela colocar-se em risco para ajuda lo. Depois de tantos anos em casa sem nenhum motivo para tentar viver de outra maneira as coisas estão prestes a mudar e o questionamento que rodeia Mad agora é: Viver sem existir ou existir por um breve momento vivendo o máximo que a vida tem a oferecer?

Às vezes você faz as coisas pelos motivos certos e em outras pelos errados. Há ainda aquelas vezes em que é impossível saber a diferença.

Quando decisões são tomadas não conseguimos deixar de torcer pelo romance puro que eles desenvolvem, mesmo que eu tenha ficado com a impressão que tudo é tão intenso pelo único fato de que Madeleine não ter tido outras experiências o coração não fica menos apertado quando as consequências das ações chegam e foi exatamente aí que ler sem ter tido muitas informações fez toda a diferença. Ainda não consigo decidir se gosto ou não do final ou se gosto de como as coisas foram explicadas, talvez eu tenha ficado com a impressão de que tudo se resolveu muito superficialmente, o fato é que eu esperava um desfecho e o que aconteceu me deixou pensando no livro mesmo depois de termina-lo e por isso esse é facilmente um livro que indico pra quer quer uma leitura fofa que seja a leitura de um dia.

Tudo e Todas as coisas
Autora
: Nicola Yoon| Editora: Novo Conceito
Páginas:  304 | ISBN: 13: 9788581637884 | 10: 8581637884
GoodreadsSkoob

Para ler: Amazon

Osculos e Amplexos, Karina.

Veja também

4 comentários no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Bianca 28 de janeiro de 2018 at 12:15

    Confesso que já tenho esse livro na minha lista de desejados do Skoob há um bom tempo e a cada resenha que leio só me sinto mais animada pra ler, então com essa não foi diferente, adorei seu modo de contar sobre a história e suas impressões sobre ela!
    Estou encantada com o blog ♥

    • Reply Karin Paredes 29 de janeiro de 2018 at 08:55

      Olá Bianca, tudo bem?!
      Acho que está empolgada pela leitura desse livro, ele é muito legal mesmo!
      Obrigada pelo carinho e fico feliz de ter gostado do blog.
      Mil beijos

  • Reply Camila Faria 2 de fevereiro de 2018 at 19:12

    Eu me lembro da época do lançamento do filme, acabei lendo muitas resenhas do livro e não me empolguei muito. Acho que é porque não sou muito fã de YA e desconfiei que a leitura tivesse uma pegada um pouco teen demais para mim… Mas parece ser um livro bem fofo sim. Um beijo! :*

    • Reply Karin Paredes 22 de fevereiro de 2018 at 07:36

      Oi Camila.
      Realmente ele é um YA, então temos uma noção do que iremos encontrar.
      Mas tem uma mensagem interessante para a galera dessa idade.
      Mil beijos

    Deixe seu comentário

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.