Um milhão de finais felizes, do Vitor Martins

9 de dezembro de 2018

Um milhão de finais felizes

Sabe aquele livro que você não consegue parar de ler e que você não quer que nunca acabe? Um milhão de finais felizes, do Vitor Martins, é esse livro.

“Uma história divertida, sensível e esperançosa sobre o amor e o verdadeiro significado de família, que te fará entender por que o Vitor é um dos melhores autores atuais de YA.” – Iris Figueiredo, autora de Céu sem estrelas e Confissões on-line

Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais. Sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas.

Mas é quando conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.

Eu ainda não li Quinze dias do Vitor Martins, apesar dele estar aqui na estante aguardando a leitura. Mas quando Um milhão de finais felizes foi lançado e começaram a pipocar resenhas maravilhosas, eu decidi que tinha que ler esse livro.

O meu exemplar chegou por aqui através da parceria com a Globo Livros. Lembro que estava ansiosa por causa da proximidade da Bienal e queria poder autografar com o Vitor durante o evento. E não é que eu consegui esse feito!

Eu não sei muito bem como explicar o sentimento que tive com a história do Jonas. E eu não estou aqui falando do enredo em si. Mas o sentimento que um livro legal desperta no leitor. Aquela sensação de estar tão envolvida com o livro que deseja que o mundo pare só para você ficar lendo e lendo e lendo sem parar; do identificar os personagens com pessoas reais e histórias reais, de não querer parar de ler porque quer saber a qualquer custo o que vai acontecer, de sentir dentro das cenas como se estivesse ali vendo tudo ao vivo e a cores, de torcer para os personagens e de querer dar uns tapas em alguns porque estão fazendo besteira. Toda essa coisa que só um bom livro consegue despertar na gente.

A gente sabe que é uma ficção, mas Um milhão de finais felizes é uma realidade extremamente palpável. São histórias de jovens que estão espalhados por todo o mundo e pode estar acontecendo com quem menos você imagina. É um Young Adult maravilhoso e que deveria ser lido pelo máximo de pessoas possíveis.

Eu realmente amei a leitura desse livro e vocês irão se cansar de ver o tanto que irei recomendá-lo tanto aqui no blog quanto no canal. Eu acho que não vou conseguir expressar, seja escrito ou em vídeo o tanto que gostei desse livro. Sério, vocês irão muito gostar dessa história.

Um milhão de finais felizes
Autor: Vitor Martins | Editora: Globo Alt
Páginas: 352| ISBN: 9788525065377
Skoob | Goodreads
Para lerhttps://amzn.to/2IOaxKO


Mil beijos e até mais!

Muitas águas, de Madeleine L’Engle

28 de novembro de 2018

Muitas águas, de Madeleine L’Engle, é o quarto livro da famosa série literária Uma dobra no tempo. E hoje vou contar um pouco sobre como foi a leitura desse obra que chegou aqui em casa pela parceria do blog com a Editora Harper Collins Brasil.

“É preciso acreditar em certas coisas para poder vê-las!
Sandy e Dennys, os gêmeos da família Murry, sempre foram práticos, realistas e nunca prestaram muita atenção às conversas dos pais cientistas sobre coisas altamente teóricas como tesseratos e farândolas. Mas, após um acidente no laboratório do sr. e da sra. Murry, algo acontece com eles que desafia drasticamente suas capacidades de crer no impossível. Com um desastre à vista, será que os gêmeos conseguirão encontrar uma maneira de voltar à realidade?

Tive a oportunidade de conhecer o trabalho da L’Engle esse ano. Até então nunca tinha ouvido falar sobre a autora ou sobre sua obra e a importância de seus livros para a literatura infanto-juvenil americana. Eu já fiz resenha dos 3 primeiros livros da saga e finalmente cheguei no quarto livro.

Muitas águas vai focar em dois personagens que sempre estiveram em segundo plano nas aventuras da família Murry: os gêmeos Sandy e Dennys. O livro não segue a ordem cronológica da saga e pode ser lido fora de ordem sem nenhum problema. A história se passa verdadeiramente entre o segundo e o terceiro livro. O livro vai abordar uma viagem no espaço-tempo (mais uma vez) e os gêmeos irão parar no mundo na época bem diferente da deles.

Mas vou confessar que me decepcionei com a saga. E esse quarto livro foi uma leitura bem arrastada, bem cansativa e bem sem propósito. Não me senti atraída pela narrativa e achei meio que sem propósito. Vendo as datas de publicação do primeiro livro da saga e esse temos mais de 20 anos de diferença. O que talvez tenha dado a diferença no tom das histórias. Outro fator que me deixou bem intrigada foi que algumas partes achei bem avançadas para um livro infantojuvenil. Eu não sei se isso talvez seja porque o público em questão seriam os mesmos que haviam lido Uma dobra no tempo há 20 anos atrás, ou se a autora achou realmente aquele apropriado para aquele público. Mas eu não achei pertinente para a história.

Algumas coisas ficaram soltas sem uma conclusão decente e personagens sem uma boa explicação da existência deles na narrativa. Eu realmente não vi razão para esse livro na saga. E o que me deixa mais chateada é que os gêmeos eles são personagens bacanas (e a única coisa que salva no livro) e poderiam ser mais bem explorados e ter uma participação mais ativa em toda a saga. Foi a única coisa que salvou no livro. Em uma das resenhas que li no Goodreads, uma leitora do livro disse que a história parecia mais com uma fanfic de A arca de Noé.

O livro mantém o padrão do projeto editorial que a editora escolheu para essa saga. Eles ficam lindos na estante, mas com certeza essa obra não se manterá na minha biblioteca particular que quero manter para o futuro. Fiquei bem triste porque a ideia era manter essa coleção bacana para as minhas futuras gerações.

Muitas águas
Autor: Madeleine L’Engle | Editora: Harper Collins Brasil
Páginas: 320| ISBN: 9788595083295
Skoob | Goodreads
Para lerhttps://amzn.to/2pNm2cN


Mil beijos e até mais!

Aquicorn Cove, de Katie O’Neill

26 de novembro de 2018

Eu não tenho palavras para expressar o que senti ao ler Aquicorn Cove!

Descobri o livro e a ilustradora na resenha de uma amiga no Goodreads e pesquisei uma maneira de poder ler a Graphic Novel. E foi então que descobri o NetGalley e a oportunidade de conhecer autores e histórias antes do lançamento.

Vamos conversar sobre Aquicorn Cove! Simplesmente fantástico! Eu realmente estou encantada com a história, com as ilustrações e com o trabalho delicado da Katie O’Neill

É um livro para o público infanto-juvenil, mas vai encantar pessoas de todas as idades. A história é delicada e cheia de significados. Cuidar da natureza para que possamos viver em harmonia é o ponto chave dessa história. A mensagem que o livro passou é de extrema importância e nos faz refletir sobre o nosso papel no planeta. É muito do que eu acredito e tento aplicar no meu cotidiano.

Eu adorei a Graphic Novel. As ilustrações são encantadoras e o traço da artista é de uma delicadeza sem tamanha. A história daria para virar uma série de tão cativante que os personagens são. As passagens de tempo, os detalhes nas ilustrações mostram a assinatura da ilustradora.

Depois de ler Aquicorn Cove, eu fiquei com muita vontade de conhecer mais livros da autora e ansiosa para alguma editora publicar os livros dela aqui no Brasil.

É uma ótima indicação de livro para jovens leitores e para os mais experientes que curtem ilustrações delicadas e histórias para aquecer o coração. Sério, vocês irão adorar!!!

Agora eu quero um Aquicorn para mim.

Aquicorn Cove
Autora: Katie O’NeillEditora: Oni Press
Páginas: 384 | ISBN: 9781620105290
Skoob | Goodreads
Para ler:  https://amzn.to/2Qpzz6h

Leve me com você, de Catherine Ryan Hyde

23 de novembro de 2018

ALGUMAS VIAGENS NOS TRANSFORMAM, OUTRAS NOS DESPERTAM

Esqueça todas as histórias que você já leu sobre as férias de verão. Troque as praias paradisíacas pelos tons terrosos das reservas naturais americanas, as cadeiras e protetores solares por um trailer e um pacote de marshmallows, e abra bem os olhos para observar as estrelas com August, Seth e Henry, o trio improvável e inesquecível de LEVE-ME COM VOCÊ.
Fonte da sinopse Editora Darksidebooks

Leve me com você

É muito fácil se apaixonar logo de cara pelo livro, já no início sabe que August é um professor de ciências, que pretende fazer uma  longa viagem de verão até o Parque Nacional Yellowstone acompanhado por seu cachorro Woody; essa road trip tem um valor sentimental muito grande para ele, mas já bem no início da viagem o trailer quebra e ele precisa parar em uma mecânica no meio do caminho; é nessa mecânica que ele conhece o  Seth e o Henry, dois garotos de 12 e 7 anos que vivem com o pai Wes, dono da mecânica. Durante a parada de conserto do trailer o destino desses 3 vão se entrelaçar mais do que eles imaginam e fácil assim, logo nas 10 primeiras páginas você já não consegue mais desgrudar do livro.

 Mas cada um de nós tem uma coisa que nos causa tristeza […] E ninguém pode nos salvar de todas elas.

Por mais absurdo que possa parecer, Wes tenta convencer August a levar seus 2 filhos na viagem que vai durar todo o verão, oferecendo o conserto de graça para que ele possa seguir viagem. Seguindo a razão esse pedido é negado, mas as duas crianças despertam tantos sentimentos conflituosos em August que sem nem saber ao certo o porquê ele topa viajar com as crianças.

Seth apesar de nem estar na adolescência age como se fosse um adulto, toma pra si toda e qualquer responsabilidade e vive para proteger o irmão. Henry por sua vez não fala com ninguém a não ser com Seth. Desconfiado e quieto, está sempre de wood desde que o cachorro chegou na mecânica com o trailer quebrado. August carrega uma garrafa de chá muito importante no porta luvas do trailer. Todos esses pequenos detalhes constroem uma história linda e sensível. É bom separar os lencinhos e embarcar sem saber quase nada da história.

Leve me com você

O plot gira basicamente em torno dos três em uma road trip meio que forçada já que obviamente Wes só conta parte do motivo pelo qual precisa que os meninos passem o verão fora. As crianças tentam não interagir muito com August afim de não incomodá-lo (já que eles sabem que essa viagem era para ser bem mais solitária, porém aos poucos descobrem  a importância da viagem para August ao passo que Seth e Henry fazem a vida funcionar entre eles para que não sofram ainda mais com o pai que tem. August, mesmo sem querer, cura parte de suas feridas na companhia inesperada daquelas crianças.

Todo mundo anda por aí perdendo as melhores coisas por não querer que nada de ruim aconteça. Mas, quando uma coisa ruim tem que acontecer, simplesmente acontece. De qualquer jeito. Por mais que você tome cuidado.

A autora aborda assuntos sensíveis de uma maneira muito real e bonita, desde alcoolismo passando por abandono parental, luto, perdão até uma possível redenção. Acompanhar essa jornada longa por paisagens lindas nos faz repensar o quanto as nossas escolhas por mínimas que sejam podem impactar o destino final.

O livro é dividido em três partes e nos leva a um final maravilhoso. Enquanto eu lia as últimas páginas, foi difícil segurar as lágrimas. O impacto que a viagem teve em como os três decidiram seguir a vida é muito bonito. Catherine Ryan Hyde, com a mais absoluta certeza, me conquistou na forma singela de sua escrita. Se ela tivesse colocado um pouco mais de música no enredo eu estaria muito possivelmente panfletando esse livro por ai; a experiência de leitura apesar de se arrastar por alguns capítulos em todos eles a sensação de quentinho no coração estava lá até a última página.

O livro como um todo tem descrições tão gráficas que é quase como se assistíssemos um filme, a autora é também criadora do filme “Corrente do Bem” se você já assistiu a esse filme ele serve como uma excelente referência, a vibe é a mesma apesar de roteiros completamente diferentes; e se você não assistiu fica aqui já registrado uma excelente dica de filme.


Leve me com você

Autora
: Catherine Ryan Hyde | Editora: Darkside Books- Darklove
Páginas:  336 | ISBN: 9788594540423
Skoob | Goodreads
Para lerhttps://amzn.to/2qQDayU

Ósculos e Amplexos, Karina.