O habit tracker do meu bullet journal

19 de Fevereiro de 2018

habit tracker

Oi pessoas!

Acho que já falei em algum momento nesse blog que estou organizando a minha vida com a ajuda do meu bullet journal e tem sido uma experiência bem interessante.

Uma das coisas que pretendo com o o BuJo é acompanhar os meus hábitos e verificar se estou cumprindo o meu progresso direitinho. Por isso coloquei nele um habit tracker.

O habit tracker é nada mais que um acompanhador de hábitos. Você monta uma tabela e coloca ali todas as coisas que você gostaria de fazer todos os dias (ou quase todos) e vai monitorando o seu progresso.

 

No mês de janeiro, eu fiz um modelo de habit tracker bem comum que eu havia visto por aí. só que não curti muito o resultado e como consequência não cumpri nada do que eu pretendia direito nesse mês.

E então vi o modelo que minha amiga Gabriela Pedrão fez no bujo dela e compartilhou no Stories e achei ele tão mais bonito e mais funcional que decidi usar esse para o mês de fevereiro. Cacei o modelo no Pinterest e confeccionei um no meu BuJo.

O primeiro quadradinho não deu muito certo aí cobri o erro com adesivos (ótima dica). E então ensaiei em algumas folhas pontadas que eu tenho justamente para treinar. Fiz um quadradinho, depois outro e quando ficou pronto achei o resultado melhor do que eu esperava.

Para fazer essa página eu usei:

  • uma caneta Staedtler Pigment Liner 0.1
  • uma caneta Stabilo Fine 0.4 88/95
  • uma régua
  • adesivos
  • masking tape

Essa forma de acompanhar os hábitos ficou muito mais inspirador. Até estou conseguindo fazer as coisas só para poder fazer o riscadinho nos quadradinhos.

Agora quero saber se vocês também entraram na onda dos Bullet Journal e também fazem habit tracker? Qual o modelo que utilizam? Deixa nos comentários, as sugestões e dúvidas que tiverem. Quero saber mais sobre esse mundo dos bujos que tem me ajudado muito na organização da vida.


Mil beijos e até mais!

Amorzices: as palavrinhas mágicas da gentileza

18 de Fevereiro de 2018

Oi pessoas!

Uma vez eu ouvi (ou li) uma frase que dizia mais ou menos o seguinte:

Seja gentil com as pessoas. Você não sabe as batalhas que elas estão enfrentando.

Por mais que não pareça muito em alguns momentos, tenho tentando levar essa frase comigo para todo o lugar, o tempo todo. É quase um lema, um mantra.

Acredito muito na lei do retorno. Aquela que diz que a gente “colhe o que planta”, “aqui se faz, aqui se paga”, e tantas outras frases populares que exemplificam o que estou falando. Acredito muito que aquilo que desejamos ou fazemos ao outro de alguma forma nos retorna. Seja na hora ou anos depois.

Algumas pessoas podem achar que sou boba ou muito boazinha. Mas não consigo ser uma pessoa babaca, aquelas que já coloca o pé na porta e problema de que esteja do outro lado. Essas atitudes revelam muito mais da outra pessoa do que de mim. Eu não sei o que elas estão passando, os problemas que estão enfrentando e não quero ser mais um motivo de estresse ou infortúnio. Às vezes a única coisa que precisam é de um sorriso! E se não se importam muito com o sorriso, paciência. Como já disse, isso revela muito mais sobre o outro do que sobre você.

Ser gentil, já me rendeu muita coisa boa. Uma vez eu fiz um textinho no facebook sobre o dia que eu tava muito borocoxô e uma pessoa iluminou o meu dia de uma forma tão encantadora. Mas o legal que o que ela fez a mim foi simplesmente o retorno das coisas que fui para ela. São momentos assim que mostram que estou no caminho certo.

Tento sempre ser gentil. Me faz bem sabe. Me sinto bem praticando a gentileza. Cara, se vocês soubessem o quanto me sinto mal quando de alguma maneira deixo alguém desconfortável ou sem um cuidado, sem pelo menos um sorriso ou uma palavra de conforto. Há tantas maneiras de você mostrar que de alguma forma você se importa com o outro.

Não é difícil praticar a gentileza. Acho que dá para você começar com o que chamo de 5 palavrinhas mágicas:

  • um comprimento (bom dia, boa tarde, boa noite)
  • por favor
  • com licença
  • obrigado/obrigada
  • desculpa

Apesar de eu achar que isso já deveria vir junto com o pacote “ser humano”, sei que muita gente ainda tem dificuldades de incorporar essas palavras no seu dia a dia por conta das mais diversas razões. Não cabe a mim julgar, mas se todo mundo começasse a praticar, acho que parte dos problemas das relações humanas estariam resolvidas.

Ahhh, lembrando que as 5 palavrinhas mágicas quando vem acompanhadas de um sorriso valem mais 5 pontos.

Depois que essas palavrinhas já estiverem fazendo parte do seu dia a dia, acho que já pode ir para o outro nível da gentileza. Mas isso a gente pode conversar em um outro post. Seja gentil, juro que não custa nada! E você pode praticar isso das mais diferentes formas e situações.

E vocês, como praticam a gentileza na suas vidas?

 

você pode fazer parte dessa blogagem coletiva. o amorzices é um projeto mensal, publicado todo dia 15, criado pelo trio amorzinho Sernaiotto Serendipity Desancorando e que terá um tema de base: amor. a partir daí, a gente vai falar sobre um monte de coisas. o tema de fevereiro é ‘gentileza’.


Mil beijos e até mais!

Sobre perder coisas

9 de Fevereiro de 2018

Eu não sei vocês, mas não gosto muito dessa coisa de perder. Seja o que for: perder coisas, pessoas, o ônibus ou uma oportunidade. Mas parece que isso começou a se tornar rotineiro na minha vida. E não estou sabendo muito bem como lidar.

Comecei 2018 com gás total! Tinha refletido que quero tornar esse ano o mais produtivo possível e poder realizar alguns objetivos que já ando ensaiando algum tempo. Também quero fazer coisas que sempre tive vontade e nunca fazia por conta dos mais diversos motivos que não vem ao caso aqui.

Para isso comecei a me manter organizada e focada. O bullet journal tem me ajudado, apesar de ainda me ver meio confusa com minhas anotações e minha metodologia.

Mas aí minha gente, nada nessa vida é do jeito que a gente espera e coisas começaram a acontecer para testar a minha capacidade de auto-controle e otimismo.

Já falei que não gosto de perder coisas, né? Pois bem! No inicio do ano perdi um cartão de memória. O cartão de memória da minha DSLR. Desde a viagem para Orlando que eu estava tentando organizar os cartões das câmeras e nunca fazia. Aí em dezembro, consegui limpar e organizar esses cartões (dois apenas), colocar cada um em seu devido lugar, ou melhor dizendo em sua devida câmera, para mantermos um fluxo de trabalho decente e organizado. Mas quando voltei do RJ, cadê o cartão da T5i? Isso mesmo, perdido! Virei a casa toda de ponta cabeça, de cabo a rabo e nada do cartão. Simplesmente sumiu no ar! Até pedi a São Longuinho, mas não adiantou

Os vídeos da reforma do Studio? Perdidos! Os vídeos da transferência e arrumação da estante de livros no studio? Perdidos! Fotos de bookhaul e tantas outras coisas que nem me lembro mais? Também perdidos.

Eu fiquei em um estado de decepção, uma sensação de incapacidade, de não estar fazendo a coisa certa. Um “Onde foi que eu errei” total! E sabem o que isso gerou? Uma profunda bad, uma vontade de largar e parar de fazer todas as coisas que me dão alegria, que me dão prazer. De simplesmente não me aventurar nesses hobbies que me dão mais dor de cabeça do que satisfação. Viver a vida simplesmente para o trabalho e para as responsabilidades que pelo menos assim a gente não precisa lidar com a frustração. E não criamos expectativas

Mas aí os dias foram passando, as coisas foram acontecendo e o sentimento ruim foi sumindo. Encarei como algo que acontece, um infortúnio da vida que aparece para testar as nossas capacidades de frustração e resiliência. Comprei um cartão de memória novo e virei a página. Bola para frente!

Só que a vida, ahhhhhh! a famigerada vida! Ela não dá ponto sem nó. Ela não quer te ver plena. Ela quer ver sangue. Ela quer tiro, porrada e bomba. E essa semana aconteceu de novo.

Em menos de 7 dias eu consegui, receber e perder a carteirinha do plano odontológico. Carteirinha essa que nem usei. Eu simplesmente peguei o envelope guardei na bolsa e nunca mais vi ou dei falta.

E então chegou o dia que precisei da carteirinha. E cadê??? Pois é, novamente revirei a casa, de cabo a rabo em todos cantos, gavetas e pastas e não encontrei o bendito do tal envelope.

Mas a questão não é ter perdido e não encontrar. A questão é: o que está acontecendo que por mais que mantenho tudo organizado, processado e tabelado eu ainda continuo perdendo coisas? Eu continuo não sabendo onde foi que eu deixei, quando foi que eu vi pela ultima vez.

E bate um desespero, uma sensação de impotência. Um “Meu Deus, o que estou fazendo de errado?”. Eu sei que vocês vão dizer “Mas Karin, isso é normal, não dá para ser 100% perfeito“. Vai colocar isso na cabecinha virginiana que adora tudo no seu devido lugar e que anda aterrorizada ainda porque nem tudo tem seu lugar na sua casa por conta de não ter armários e guada seus pertences em caixas e malas.

É tipo: pra quê mesmo eu to fazendo essa porra toda de bullet journal, google calendar, Todoist e cara*** a quatro, se não consigo manter as coisas guardadas e organizadas nos seus devidos lugares?

O sentimento é muito ruim. Aí começa a passar um filme na sua cabeça. Que porcaria que eu to fazendo? Para que eu to fazendo essas coisas? Qual o propósito da vida? E tudo vira uma espiral de pensamentos, uma vontade de desistir de tudo, de largar os sonhos de mão. Parece até que tem algo que impede de ir para frente, de manter o sentimento positivo nas vida.

Já chorei, já fiquei estagnada olhando para o nada. Esses episódios de perda de controle geralmente me fazem perde a fé em mim, que sou merecedora de coisas legais na minha vida

Acho que escrevi esse textão mais para tentar acalmar o coração, o cérebro e a minha sanidade. Para expurgar toda essa vibe ruim que anda me rondando. A vontade é de gritar loucamente até não ter mais ar nas minhas células e depois passar o resto da semana na cama, vendo TV e jogando Candy Crush. Só que, sabe a vida? Aquela que já retratei ali em cima? Pois é, me impede de fazer isso, então seguimos trabalhando e buscando soluções para a substituição da tal carteirinha. Estou fazendo isso agora enquanto escrevo esse post (sim! eu faço 2 coisas ao mesmo tempo. Para ser sincera, to fazendo 3) A propósito, já até encontrei uma e que felicidade essa coisa chamada tecnologia, não é mesmo? Baixei uma versão dela para o celular. Espero que funcione. Porque o que me deixa mais zangada nessa história é perder algo que uso quase que 1 vez ao ano e depois fica lá na carteira sem uso, só ocupando espaço.

Agora estou bem! As coisas voltaram ao normal. A gente vai vivendo e depois nos damos conta de que tudo isso é só a vida sendo ela mesma. Não dá para ter controle. O cartão de memória e a carteirinha? Nem sinal de vida ainda.


Mil beijos e até mais!

Química Perfeita, de Simone Elkeles

6 de Fevereiro de 2018

Química Perfeita, por Simone Elkeles

Brittany e Alex são de mundos opostos: ela é a menina perfeita com um futuro brilhante pela frente, ele o membro de uma gangue perigosa que não tem nada a perder. Os dois não teriam nenhum contato um com o outro, se não tivessem sido forçados a ser parceiros nas aulas de química do último ano.
Alex sabe que qualquer relação que Brittany tenha com ele pode colocar em risco sua reputação impecável de boa aluna e namorada dedicada e, por orgulho e diversão, aposta com os amigos que consegue fazer com que ela saia com ele.
No entanto, quanto mais se aproximam, mais fica evidente que eles têm algo em comum que ninguém parece perceber: nenhum dos dois é o que se esforça tanto para ser.
Fonte da sinopse GloboAlt

Química Perfeita

Química perfeita já havia sido lançado no passado mas não era uma edição tão fácil de se encontrar à todos os fãs e curiosos a boa notícia é que agora numa capa mais vibrante e com o selo da Globo Alt quem quiser conferir o mundo de Brittany e Alex está bem mais fácil. Esse livro é o primeiro de uma trilogia (os próximos volumes serão sobre outros personagens) então aqui para você que gosta de livros únicos já encontra uma história fechadinha.

— O que eu estou dizendo é… Dinheiro e status não são tudo. Use seu cérebro e faça algo pela humanidade ou pelo planeta no qual vive. Aí será uma pessoa bem-sucedida. E terá meu respeito, algo de que bem poucas pessoas neste mundo podem se gabar.

O livro é um jovem adulto que alterna entre o ponto de vista dos protagonistas, tanto Brit quanto Alex nos mostram mundos opostos numa mesma escola, numa mesma cidade. Enquanto Brit é o modelo de filha perfeita, rica, líder de torcida Alex é o bad boy que está “ destinado” a grandes feitos e caminha na liderança de uma gangue chamada Latinos Blood. O plot da história é basicamente a interação forçada (pelo menos no início) desses dois mundos, já que por conta de uma professora super rígida que escolhem os dois para serem dupla durante as aulas e desenvolverem projeto de Química.

Química Perfeita

Como nem tudo é o que parece, a escrita despretensiosa da autora vai desconstruindo pagina a pagina o que um achava do outro e isso inevitavelmente os aproxima. Brit tem problemas em casa já que sua mãe a pressiona para ser a melhor em tudo, seu pai mais trabalha do que aparece em casa, além de se sentir sempre responsável por Shelley sua irmã mais velha que precisa de cuidados especiais enquanto Alex ao contrário do que aparenta não está nem um pouco confortável em fazer parte da gangue, trabalha horas numa oficina mecânica e tenta se manter longe das encrencas que o “trabalho” pode trazer.

— Não faça perguntas para as quais não está pronta para ouvir resposta. Está bem?

Com realidades tão contrarias, a tensão não fica restrita a apenas os protagonistas, os amigos em volta dos dois acabam experimentando um pouco a versão da outra realidade; Colin é namorado da Brit e o estereótipo de adolescente Alfa de colégios americanos (desses que vemos em filmes) é sempre responsável por aumentar a pressão na vida da Brittany uma vez que ele quer ir mais fundo no relacionamento; já Carmem (a ex do Alex) não deixariam uma situação dessas transcorrer sem maiores abalos e ameaças uma vez que Brit passa a atrapalha o plano de reconquista de Alex.

Enquanto caminho na direção do meu carro, vou mordendo o muffin, distraída. (…) É de banana com nozes… E as bananas passaram do ponto. É, esse muffin está bem parecido comigo: por fora, aparentemente perfeita… Mas, por dentro, um verdadeiro mingau.

Tudo parece e é bem clichês, mas são aqueles que dão um quentinho no coração e quer acompanhar o crescimento dos personagens faz nossos olhos brilharem um pouquinho e torcer muito, muito mesmo pra acabar naquele Happy End (ou pelo menos da melhor maneira possível), de relacionamentos familiares conturbados até a questão imigratória nos Estados Unidos o pano de fundo se torna leve (na medida do possível) com personagens secundários como Paco, Isabel e Sierra são aqueles amigos que você amaria passar um verão ao lado e que torna essa leitura tão fofa. Espero que em breve a editora nos presenteei com novidades sobre a continuação.

 Química Perfeita
Autora
: Simone Elkeles| Editora: Globo Alt
Páginas:  428 | ISBN: 9788525064363
Skoob | Goodreads

Para ler:  Amazon

Osculos e Amplexos, Karina.