Música

Uma manhã nostálgica

É estranho como ouvir determinadas músicas te trazem uma sensação de conforto e saudosismo e um quentinho no coração que a gente não consegue muito bem como explicar. Só sentir!!!

Essa semana as Spice Girls anunciaram o retorno e que sairão em turnê pela Inglaterra e a possiblidade de uma turnê mundial é real. Eu pirei né??? Claro que sim!

Mas o motor propulsor para esse post foi o estalo e a sensação boa que acabei de ter ao ouvir a música Anthem for the year 2000, do Silverchair! A memória logo viajou para a adolescência e o tempo que a vida se resumia em ir para a escola, lavar a louça depois do almoço e passar a tarde ouvindo cds.

O mais interessante é que não são todas as músicas que dão essa sensação. Antes dela estava tocando Sing, do Travis e a memória afetiva não foi despertada. O que é estranho, já que ambas as músicas são quase do mesmo período. Mas só neurocientistas para explicar isso. O máximo que sei é o que aprendi com o Divertidamente.

Ao ouvir Silverchair hoje logo pela manhã, muitas lembranças surgiram. E reflexões também. Comecei a pensar na minha vida e nos caminhos que tomei que me fizeram chegar até aqui. Me lembraram também o quanto da Karin daquele tempo ainda existe e o quanto eu mudei. Muitas coisas se passaram na minha cabeça. Ao mesmo tempo que aquela música (apesar de ter um arranjo bem pesado, e uma letra também) me passava uma tranquilidade, uma sensação de nostalgia, me bateu um desespero, uma interrogação do tipo “será que é isso mesmo que estou vivendo que quero para mim, para minha vida?” As lágrimas caíram, não consegui evitar! Eduardo até se preocupou e tive essa mesma conversa com ele. Ele tranquilizou e me mostrou o outro lado como sempre faz. O coração (e também a mente) se acalmou.

O dia estava só começando. E o sentimento inicial que senti ao ouvir Silverchair retornou e aquela nostalgia me acompanhou ao longo do dia e depois foi se dissipando da forma como deve ser

Acho que esse é o barato da memória afetiva. Ela vem do nada e nos faz lembrar quem somos. É como se precisássemos daquela sacudida para acordar e perceber os caminhos que estamos tomando. Se realmente estão de acordo com aquilo que somos e o que queremos para  nós.

Never knew we were living in a world
With a world that could be so sure
Never knew we were living in a world
With a mind that could be so small
Never knew we were living in a world
And the world is an open court
Maybe we don’t want to live in a world
World who cares at all

Trecho de Anthem for the year 2000. A letra já tem 18 anos, mas nunca foi tão atual

Você poderá gostar de…

Nenhum Comentário

    Deixe um comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.